terça-feira, 20 de novembro de 2007

o que é isso que chamam de amor?

bendita a hora que inventaram de definir o amor
pra me deixar com os pensamentos acesos
questionando aquilo que balança dentro de mim
não era pra ser assim
era apenas pra se sentir
sem essa de querer definir
mas a gente é cheio de certezas, tão incertas na própria natureza
e o que será então tudo isso que flutua por aqui?
por favor, não me pergunte...
isso não é pra saber... pra responder com palavras que são nada mais que letras tentando exprimir alguma coisa
isso é pra você sentir no tempo da rosa que está prestes a desabrochar...
ali no campo da imaginação... o espaço mais fértil que há pra se sonhar...

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

corpo que fala



tudo bem que cada um sinta a sua maneira
mas quando eu ouço uma música meu corpo deixa de ser meu
e se transforma em melodia
acompanha as ondas do ar
e o mais gostoso é que ele permanece no ar...


tristeza?

uma coisa eu sei: já não sei ser triste.
não acompanho mais a minha dor,
que evapora quase sem nem fazer efeito...

segunda-feira, 5 de novembro de 2007


você, passarinho...

homenagem a gente faz pra poucas pessoas
e a faz em poucos momentos
esse é um deles
um daqueles instantes que nos vemos roubados por um grito sufocado
na vida tem pessoas que podemos escolher
são pessoas que nos identificamos pelo tom da dança
pela coreografia mágica que o corpo compõe a cada batida...
cada uma dessas pessoas que escolho também compõe o meu ritmo
que deixa de ser meu pra se tornar de todos... e de ninguém

a mich é uma irmã que eu escolhi pra me acompanhar
pra ser testemunha da minha história
pra assistir da torre mais alta do céu os meus sonhos...

amigos... são minas inesgotáveis de riquezas
não é preciso suor pra encontrar o ouro...
basta a sensibilidade

minha passarinha, com asas de gavião...
hoje peço que fique um pouco aqui...
debaixo das minhas asas de borboleta
que é pra eu poder cuidar de você
e pra você perceber que quando as asas estão abertas os vôos são ainda maiores
maiores e melhores...

só não se esqueça que para voar é preciso tirar os pés do chão...
dessa falsa terra que nos segura...


amo você...
mais que as borboletas...