sexta-feira, 28 de março de 2008

conversas no msn

Pequena Jornalista diz:

amiga linda
não tenha medo tá
não tenha medo pelas pessoas
vai dar tudo certo
vc irá .. cumprirá sua missão e depois vai voltar pra gente
muito mais feliz.. mais experiente.. com muitas histórias p contar

falsas verdades

há verdades que me confundem.
falo daquelas que defendemos até que se escancarem a nossa frente e se tornem contradição.
e aí, de repente, nos vemos questionando tudo aquilo que parecia ser certeza.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Angola, aí vou eu



Desculpe o meu egoísmo, mas o medo não faz parte da minha vida. Ontem o SBT Repórter exibiu um programa especial sobre: Brasileiros na Angola. Eu o assisti com a fome de absorver cada palavra dita. Me enxergava em cada uma daquelas situações. No final do jornal minha mãe chegou ao quarto, deitou-se, apertou minhas mãos e disse: eu não queria que você fosse... ela fez rasgar meu peito, fez sangrar...

O programa mostrou o cotidiano dos boinas azuis, soldados do exército enviados pela ONU para a Angola, a fim de manter a paz. Vários deles se apresentaram e falaram das saudades... este era o maior problema, já que segundo o relato deles a paz reina no momento. Parte da história da Angola foi contada e o que mais assusta é que a guerra acabou recentemente: dia 4 de abril de 2002, quando o líder Jonas Sabín foi morto em sua casa com a explosão de uma bomba. Uma das entrevistadas queixa-se que não come há oito dias. Isso me abala muito... principalmente porque a Angola é um país rico em petróleo e diamantes. Poderia ser auto-sustentável. Acontece que a riqueza do país serve apenas para enriquecer aqueles que vivem a alimentar os lixos com os restos da ganância.

Prédios destruídos, ruas de terra, crianças com os ossos visíveis, pés descalços: este é o retrato de Huambo, a cidade mais devastada pela guerra. Ainda que eu veja as imagens tenho certeza de que a realidade irá mexer comigo de uma forma mais intensa do que eu posso imaginar.

Os soldados também contaram sobre a malária, um dos problemas mais graves do país, que inclusive já matou três dos boinas azuis. Não há saneamento básico por lá. Eles usam um produto químico para matar os mosquitos e nos horários de maior perigo cobrem o corpo, usam luvas e colocam uma proteção no rosto. Privilégio deles, apenas deles.

Em Angola é preciso cuidado ao andar sozinho. Você não pode ir pra qualquer lugar. Há minas... e muitas! Os soldados da ONU trabalham diariamente para exterminá-las. Infelizmente várias pessoas do país, fazendo jus a liberdade de ir e vir, passaram por locais não indicados e hoje exibem partes do corpo mutiladas. É comum ver um homem de muletas ou sem um dos braços. Fragmentados pela guerra. Literalmente!

Mas não acabou. A equipe de reportagem estava passando por uma estrada de terra quando percebeu resquícios dos conflitos. Os soldados de Angola ganham por mês o equivalente a R$1,00. A moeda africana é muito desvalorizada. Para tentar aumentar este valor os soldados costumam parar as pessoas que passam por ali e roubá-las. O povo é tão pobre que rouba a própria pobreza. Desta vez, um caminhão cruzou aquele caminho. Um caminhão cheio de gente. Os soldados gritaram: pare! E o motorista seguiu em frente... salvando os pertences daquelas pessoas uma vida foi perdida e duas mulheres ficaram feridas. Integrantes da ONU viram tudo, porém de acordo com o sargento não é papel deles intervir. Estranha essa defesa que não pode proteger.

É essa dor que me aproxima. Essa dor que ainda que corroa deixa sobreviver um sorriso no canto do rosto. Quero poder ver, enxergar com meus olhos e entender o que essas pessoas sentem. Quero atravessar os corpos e chegar a alma!

segunda-feira, 24 de março de 2008

amizade por um fio

fiquei alguns dias sem internet em casa. foi como se eu tivesse sumido. minhas amigas perguntavam por mim questionando o motivo do desaparecimento. estranho que eu estava do mesmo jeito que antes, porém sem internet.

o espaço virtual está ocupando o espaço físico: abraços são imagens, risadas são palavras, sentimentos viram depoimentos, momentos reais se tranformam em fotos. a casa das minhas amigas eu não frequento mais. nossos encontros são em locais públicos. somos íntimas, mas não dividimos nossos lares. não conheço a família delas. não sei como acordam. nunca as vi escovando os dentes. desconheço os seus defeitos. bom que vivo a admirá-las...

as novidades são contadas em letras grandes e coloridas pelo msn: nosso principal meio de comunicação. tenho vergonha de assumir isso. sinto saudades daqueles encontros sem hora marcada. deitada no meio de almofadas macias eu falava da minha vida e as minhas amigas falavam da delas. eu era convidada para o aniversário dos pais delas. eles sabiam meu nome. eu sabia tudo o que acontecia durante a semana. a gente comprava um pão quente na padaria e lanchava junto. não precisava ter um bom filme no cinema, ou uma banda que gostássemos num show. nos encontravámos porque sentíamos vontade, entende?

era diferente. é diferente fazer parte da vida por meio de palavras digitadas e por meio de olhares. essa é a tal distância que não nos deixa aproximar.

sábado, 22 de março de 2008

ritmo acelerado

estou correndo, dando passos largos
perco o fôlego, mas continuo
agora começo a caminhar devagar
sinto vontade de chegar rápido. aumento a velocidade
ando depressa, de repente volto a correr
chego lá... e quando chego me pergunto o que há depois desse lugar volto a andar, desta vez o movimento lembra uma tartaruga
em pouco tempo já não é suficiente
cresce o ritmo... agora sou leopardo

e assim caminho
incanssavelmente

saudades


tenho saudades do que ainda não vivi
de correr num jardim com flores brancas
e no final dele encontrar alguém que me surpreenda na simplicidade do olhar
sair com uma mochila e uma bicicleta e abandonar todo o resto
carregar apenas a vontade insaciável de conhecer os outros lados da vida
dormir olhando a lua se transformar no sol num lugar desconhecido
tenho saudades de converter o mistério em conhecimento

sexta-feira, 14 de março de 2008

a transparência sem ficção não faz sentido

debaixo da terra

estou procurando meu espaço. naquela terra funda que só as raízes das maiores árvores conhecem.
há tempos venho cavando... e como sai terra!
chego a desperdiçá-la, mas acabo juntando tudo outra vez e construindo castelos.
eles se erguem em cima daquilo que eu mesma arquitetei. são estruturas de ar, de um certo mundo inatingível.

sábado, 8 de março de 2008

o sentido da vida, por Veríssimo

...."Ponha a mão no peito e sinta as batidas do seu coração. Esse é o relógio da sua vida tiquitaqueando a contagem regressiva do tempo que lhe resta. Um dia ele parará. Isso é cem por cento garantido e não há nada que você possa fazer a respeito. Portanto, não dá para perder um único precioso segundo.

Vá atrás do seu sonho com energia e paixão, ou então recue e veja-o escorrer pelo ralo. É preciso coragem e dedicação para viver o seus sonhos. (Claro, também é preciso lembrar onde acaba a coragem e começa a estupidez.) A verdade é que todos nascemos com potencial para a grandeza, abençoados com oportunidade para alcançar novas e estonteantes alturas. Mas, tristemente, muitos de nós são preguiçosos demais, preocupados demais com o que os outros possam pensar, com medo demais de mudanças, para abrir suas asas e usar todos os seus talentos.

É importantíssimo fazer o que deixa feliz - e da melhor maneira possível.Só o que interessa é que você se sinta bem com o que esta fazendo. Tenha sempre em mente que, faça o que você fizer, os enganos são parte da vida e não perca tempo se castigando por erros do passado. Não fique ruminando se está ou não fazendo a coisa certa. Você sempre saberá a resposta no seu coração. Em vez de desanimar-se, lembre-se sempre de que rejeição e resistência são inevitáveis quando se faz algo muito importante ou especial.

Quando você se propõe a realizar seus sonhos, muitos tentarão detê-lo (incluindo os que mais amam você). O que não falta neste mundo são pessimistas lamentáveis, que desistem dos seus sonhos, para lhe dizer: "Não perca seu tempo, você nunca conseguirá." Você pode muito bem se ver cercado por pessoas que, secretamente, querem ver você fazer menos, ou fracassar por completo, para não se sentir diminuídas. "Esqueça isso", dirão. "Não vale a pena. "Por isso é importante compreender que seguir o seu próprio caminho pode ser incrivelmente recompensador, mas não é fácil não. Como todo mundo você terá alguns dias melhores que outros. De vez em quando, tudo parecerá uma grande zona de perigo. As pessoas olharão para você com estranheza quando souberem o que você esta tentando atingir, e você começará a ouvir seus detratores e a ter dúvidas. Lembre-se de que todos têm dificuldades. É incrivelmente cansativo passar dias fazendo coisas que não nos agradam ou sequer nos interessam. Mas, se você perseguir o seu sonho, pelo menos se cansará fazendo o que mais gosta.

Você pode achar que nada disto significa muito no grande esquema global das coisas. Mas, acredite: significa. Quando você tirar tudo que puder da sua vida, saboreando cada gota, isto mudará tudo á sua volta, de ordinário para extraordinário.Quando estiver fazendo o que ama, você se levantará de manhã cheio de animação para enfrentar o começo de cada dia e estará tomado de uma alegria sincera, altamente contagiante. Do mesmo modo que, ao dar uma boa risada, faz outro começar a rir, e outro, até que estão todos rindo tanto que começam a lacrimejar, ter dor de estômago e dificuldades em respirar. Mas, melhor do que tudo, fazendo coisas que enroscam os seus bigodes de fazer (presumindo-se, claro que você tenha bigodes), você inspira outros a irem atrás dos seus sonhos, e é assim, meu amigo, que se transforma o mundo!

Sabe de uma coisa?
Mesmo que você cometa enganos e esteja errado sobre quase tudo, ainda assim sua vida será uma aventura fantástica e divertida; você dormirá cada noite sabendo que fez o que podia e isso fez diferença, e acordará a cada dia antecipando o futuro tão belo e excitante quanto puder imaginar.

E sabe de outra coisa?
Se você ouvir seu coração e usar a cabeça, nunca estará errado."