quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

será maldade dos eucaliptos?

não há discussão: são lindas a longas fileiras de eucaliptos estrada afora. organizadas que só elas, tais árvores crescem elegantemente para o alto, numa tentativa de chegar o mais próximo possível do azul-infinito. mas para toda essa beleza há também um porém: de tanto sugarem a água não deixam espaço para outros tons de verde se aproximarem. os eucaliptos vivem em um bando só deles. cada árvore segue de mão dada com a outra, e apesar da visível união, elas são excludentes por natureza. por isso, eu me pergunto: será isso maldade dos eucaliptos?

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

cronograma de papel para seres humanos

é verdade que daqui de cima as coisas ficam pequenas lá embaixo, mas quando ficam miúdas é possível perceber como uma coisa interage com a outra. ir lá em cima é essencial para ver as fronteiras, e é na pequenez das coisas que a gente compreende os seus sentidos. com os pés no chão o zoom aumenta muito, e as coisas se fragmentam, só dá pra ver um ângulo. trabalhar com adolescentes privados de liberdade tem sido o maior dos meus desafios. as metas dificultam o acesso ao andar de cima, e por vezes, a gente fica correndo atrás de si mesmo. os prazos dos relatórios muitas vezes não coincidem com o tempo das coisas aqui embaixo, e a gente acaba por cumprir um cronograma de papel para seres humanos. e apesar dos pesares, eu prometo que ainda vou achar um brecha, uma fresta, uma luz.