domingo, 26 de maio de 2013

um céu para se morar

dava mesmo vontade de morar no céu, lá onde não existem paredes nem ponto de partida. é lá que o sol fica pendurado. há dias que as nuvens abraçam o amarelo, e preguiçoso que só ele, o sol decide descansar. lá no céu também se penduram jóias, e as estrelas são os brincos que a lua usa para se enfeitar pela madrugada. as lágrimas lá de cima não escorrem por tristeza, elas pingam toda vez que a temperatura se eleva. os primeiros pingos fazem a terra respirar, e pouco tempo depois, transpira-se o perfume do mundo.