domingo, 27 de maio de 2012

tempos modernos que não são meus

os cantores não criam letras, eles reproduzem o cotidiano nas cifras e emprestam os olhos para as músicas. o funk não é invenção de um autor, ele é retrato, é a expressão de um povo. cantar alivia, porque se diz sem autoria. só peço cuidado para as palavras ditas sem remetente. estou com dificuldade em escolher a minha trilha sonora. o meu paladar tem alterado os sabores dos sons, e meu corpo parece não reconhecer certas composições. dançar não é mais inevitável. eu me perco na fronteira. acho que estacionei num tempo de amores pintados em praças, e não consigo me adaptar a casualidade dos amores de um dia só. acontece que as músicas me deixam invisível, e o que busco não encontra terreno fértil. e eu que sou toda feita de pele, torno-me insensível aos discursos contornados de modernidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário