terça-feira, 30 de outubro de 2012

respir(ar)

preciso pendurar você nas varandas dos versos meus, pra gente ter mais ar. preciso deixá-lo por um tempo, porque dá medo do tanto que eu posso amar você sem nem mesmo ter construído a nossa moldura. é melhor eu recuperar o folêgo e deixar você em um intervalo tal qual reticências prontas para a próxima fala. estava mesmo precisando vir por aqui e esvaziar-me de você. preciso deixá-lo nas palavras que aqui se congelam. é que mantê-lo cá dentro de mim me faz pintar o mundo todo outra vez. e pra ser sincera, as vezes confundo as cores.

Um comentário:

  1. tem problema não, menina... esse é o tipo de confusão que pinta os mais belos quadros! ;)

    beijo!

    ResponderExcluir