sexta-feira, 20 de março de 2009

alta descida

começa assim. de saia rodada com bolinhas brancas. mesmo sem vento roda-se o pano e criam-se ali círculos em ondas que sobem e descem. sem parar de girar chega-se a uma velocidade que faz perder os sentidos. feito vento que entra acelerado pela janela do carro e faz perder a sensibilidade, como se pudéssemos nos desprender dos ossos. facilmente se chega lá em cima e só então se lembra que não há asas. aí pra descer custa muito, tal qual os pingos de suor dos passos em direção a montanha mais alta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário