segunda-feira, 9 de março de 2009

voz de rima minha

e no meio da terra coberta de grãos e do Sol transbordando cores eu ouvi a voz dele. meu desejo não me dava sossego e vivia a me pertubar constantemente, inclusive entre os segundos tão velozes. escolhi os números dele por pura obediência a mim mesma. eu não seria travessa em um momento de tanta vontade a ser saciada. e ele... chamou-me de poema. e ainda teve a capacidade de corrigir para "o meu poema". foi natural falar com ele. senti como se tivéssemos nascido de um mesma raiz de árvore, com caules que crescem por lados opostos, mas que inevitavelmente se encontram. é assim. sem coincidências. pura razão um poema encontrar a sua rima.

2 comentários:

  1. Debs. Voce feliz me faz feliz !
    Sei que voce vai ser abencoada em tudo !!!

    Sim , bolinhas continuam a combinar com listras!

    ResponderExcluir
  2. a felicidade sendo minha ou sendo sua é sempre nossa.

    ResponderExcluir