sexta-feira, 23 de março de 2012

crise de abstinência

o grande problema foi beber você nesta velocidade, parecia até que havia o risco de você evaporar, bebi você inteiro em uma dose única antes mesmo da digestão, antes do corpo ajustar as formas ao novo conteúdo, desde então me mantive em estado de embriaguez, a contagem do calendário era sempre a espera do próximo gole, vício, tudo isso pra você me arrancar em poucos segundos qualquer gota sua, me deixando com a boca seca, em abstinência completa da delícia de droga que era você.

4 comentários:

  1. Emilie, abstinência é terrível, o corpo se agita em faltas permanentes, não se dando conta da própria completude. ainda bem que o tempo nos salva de nós mesmos, e nos mostra com o passar dos dias a nossa independência.

    ResponderExcluir
  2. vez ou outra a gente engasga, né? só não vale se assustar demais e correr o risco de morrer de sede, fazfavor!
    :)

    ResponderExcluir
  3. mas não há deserto que não permita miragens. morrer de sede jamais.

    ResponderExcluir