quinta-feira, 8 de março de 2012

viagem só de ida

pegou seu barquinho de papel e se pôs a remar sob águas montanhosas, remava sem aquele pretexto da chegada, depois de um tempo a areia se transformara em um pontinho amarelo por trás do caminho percorrido, caminho sem volta, não há nada mesmo que volte.

2 comentários:

  1. As águas trazem de volta.
    Por mais dolorosa que
    seja a volta.

    Do mergulhar,
    sinto-me aqui;
    Em teu mar.

    Fico a seguir.
    Paz!

    ResponderExcluir
  2. será mesmo Sahara, penso que as águas nunca retornam, elas se transformam no caminhar...
    seja bem-vinda!

    ResponderExcluir