domingo, 13 de abril de 2008

nem medo, nem coragem

eu não estou de partida para a dor. não... eu não vou sofrer. raríssimas são as pessoas que conseguem enxergar beleza nessa viagem. elas apenas me dizem: quanta coragem!

falam isso porque não compreendem a grandeza e necessidade deste mundo. eu não quero mais olhar os outros pela janela do meu quarto. vou misturar as minhas mãos lisas às mãos gastas pela terra. numa fusão de sentimentos e busca.

não existe medo... e nem coragem! há dentro de mim uma vontade de transformação. ideologias não nasceram pra ficarem presas na memória. precisamos sujar nossos pés, sentir o cheiro da nossa pele, olhar além dos olhos...

por favor... eu não tenho receios em passar fome, em não ter água quente, em comer a mesma comida todos os dias, em pegar doenças... eu tenho pavor de ver meus dias passando como um filme sem cor. o meu mundo eu faço questão de pintar com os tons mais vibrantes.

entendam: eu morreria por um ideal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário