domingo, 20 de junho de 2010

vestido de óculos

quantas canções existem naquele violão. são tantas as histórias daquele único homem. muitas foram as primaveras daquela árvore. quantas ondas já se foram naquele oceano. uma única nota. triste. suficiente pra contar a poesia. assim são os olhos dele. antes só enxergavam um borrão formado pelas folhas que se diziam verdes no topo das árvores. depois vieram os óculos que o fizeram perceber que, além do verde, existia uma infinidade de azul pintando o céu. desde então ele canta os detalhes que as retinas podem enxergar. jarvis cocker. pra você, sete vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário