segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

por isso não choro

a lágrima me justifica, o choro me conforta, como quem diz que aquelas águas só nascem se a dor for mesmo grande. aí então eu me desespero, me encolho até suprimir qualquer gota que seja. quero ficar ali, na passagem entre a dor e o consolo. não quero depositar nas gotas o meu alívio, eu prefiro que faça rasgar cada pedaço de pele, até fazer arrebentar. preciso saber de mim.

"Fiquei com vontade de chorar mas felizmente não chorei, porque quando choro fico tão consolada..." Clarice Lispector

2 comentários:

  1. minhas ácidas lágrimas insistem em insistir. já não me consolam, já não me lavam: perseguem-me. evito-as, encontro-as, as vezes trago-as por auto-piedade, comiseração. pobre de mim que choro essas lágrimas que não me consolam, essas lágrimas por não saber. sim: queria colo. saudades tuas. amo.

    ResponderExcluir
  2. menina Uli, peço então que se cubra de você mesma, peço então que você se abrace no seu próprio colo. você que é tão grande vai ver que ao se abraçar ainda sobrar espaço pra muito mais, até pra essa nossa saudade que não interrompe a urgência dos olhos. amo também, como sempre.

    ResponderExcluir