quinta-feira, 7 de junho de 2012

beleza emoldurada

quanta gentileza a dele em deixar os fios contornarem a nuca, quanta delizadeza em deixar a barba colorir a pele, quanta beleza misturada nos panos amarrotados pelo desuso guardado nas gavetas, vê-lo atravessar a rua pela janela do ônibus é feito retrato pronto pra ocupar a primeira janela do mundo.

3 comentários:

  1. E também quantos sonhos "amarrotados pelo desuso guardado nas gavetas"... quanta delicadeza sua em tão poucas palavras... e que me inspiraram a repensar minhas coisas aqui! Abraço!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é Emerson, sonhos não cabem em gavetas, eles ocupam espaço demais. e delicadeza mesmo é a sua ao me deixar palavras assim...

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir