segunda-feira, 11 de junho de 2012

ô trem bão

homem de chapéu fazendo sombra nos olhos, com o cinto de fivela grande apertando e destacando a cintura, calça rente ao corpo contornando a pele, blusa xadrex completando o figurino, conversa ao som do interior bem distante das grades gramaticais, sertanejo de raíz cifrado na sanfona que povoa as noites de lua cheia, homem de fala literal, confundida com grosseria, homem que de tão bruto se desmancha inteiro pra falar de amor.

4 comentários:

  1. O amor tem dessas coisas... Dispensa maneirismos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o amor mais bonito é escancarado, dispensa aforismos, metáforas, ele é simplesmente!

      Excluir
  2. acho que nossas novas coincidências me divertem mais... (rs!) to aqui na torcida pra que as próximas curvas nos indiquem uma direção ascendente! acho que já era hora, né? :)

    beijo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana, eu entro no seu blog pra ler a mim mesma, tamanha é a nossa coicidência. seus textos me vestem inteira... e tomara mesmo que as próximas curvas nos indiquem caminhos... a verdade é que já passou da hora, pois chega um tempo que não dá mais pra esperar os amores nas praças...

      Excluir