quinta-feira, 6 de setembro de 2012

explosão

e que todo o nosso cuidado nos seja perdoado, e que de agora em diante a gente possa tropeçar no próprio medo encravado na sola do sapato. a gente se assusta mesmo quando se vê diante de anos a frente com alguém que acabou de chegar. você, que apesar de desconhecido, atropela as etapas da relação, e faz explodir antes mesmo de existir espaço. eu deixo, finjo não saber as consequências, na verdade, não sei mesmo, mas a experiência nos remete ao amanhã, mas desta vez, eu prometo, eu deixarei o futuro ser nosso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário