quarta-feira, 19 de agosto de 2009

quanta saudade de antigamente

pequena na idade e no tamanho a menina crescia. eu quis pedir a ela para deixar de aprender as fórmulas de matemática e para não se preocupar com o "x" que faria na prova do vestibular. tive vontade de dar uma tesoura, todas as cores do universo e um pano branco pra ela se inventar nele. quis que ela tirasse aquela roupa de menina comportada e que ela bagunçasse ao menos sete fios de cabelo. esperei ela correr entre as tantas mesas dispostas naquele restaurante, mas ela prendia na imaginação os pés deslizando nas partes mais altas das cadeiras. havia muito a se criar. era uma menina. pequena. mas já não era criança. talvez fosse. moderna? sinto como se eu fosse uma senhora com os meus 90 anos sentindo falta dos tempos antigos, de meninos pequenos brincando de coisas pequenas na areia que contorna os muros do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário