sábado, 10 de abril de 2010

alma sem dono

relendo a mim mesma é clara a repetição de palavras como: talvez, acho, pode ser, parece, penso, incerteza, dúvida... eu estou aí, exatamente lá e cá, na fronteira, eu sou eu e quase sou você, tenho nome mas chego a ter um pedaço de todos os outros, vivo presa ao meu corpo mas minha alma já não me pertence e isso meus caros já faz muito tempo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário