domingo, 11 de abril de 2010

cheiro bom

e quando eu o vejo já começo a me despedir. ciente que quando o dia acontecer ele irá embora eu conto os segundos de uma noite como se contasse uma vida inteira debaixo da lua. nossos segredos estão nos instantes em que já não há sol. ainda não tivemos coragem de nos encarar sob a luz do dia, despidos das sombras, vestidos de pele. a gente ainda se esconde atrás do desejo, atrás das pupilas. perdemos a contagem regressiva nos refletindo nos olhos, fazendo releituras de nós mesmos. e aí me vejo entortando as grades, abrindo uma fresta, respirando liberdade. sinto que começo a deixar o passado misturado às coisas de ontem. olho pra ele e desejo que seja ele na minha frente. guardo qualquer intervalo pra viver repetidas vezes os segundos que ele me carrega dentro dele. mal sabe ele que quando nossos poros respiram juntos eu perco o mundo lá de fora. começam e terminam ali as minhas vontades. ele me basta, me bastaria. sim, estou apaixonada. principalmente porque foi ele quem buscou lá no céu novas estrelas pra contar de nós dois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário