terça-feira, 9 de agosto de 2011

da única certeza

talvez ela nunca saísse da ponte, talvez essa fosse a maior certeza: o risco permanente da queda, talvez fosse exatamente essa insegurança que a fizesse segurar tão firme em qualquer miragem de cais, talvez por isso de uns tempos pra cá ela tivesse começado a caminhar no centro dos seus desejos, talvez assim ela jamais deixasse de seguir, cada vez pra mais perto de si mesma.

2 comentários:

  1. Assim Cissa, vive, aquela borboleta que sem medo de arriscar chegou ao mais belo dos lugares e nao sabia... digo que este é a beira do abismo, onde se vê a mais bela das paisagens..
    Por isso estou ao teu lado Minha....rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. e estando lá, a beira de todas as coisas, apareceu um menino com asas de gaviao, fazendo o abismo lugar de imensidao...

    ResponderExcluir