sábado, 20 de agosto de 2011

pra não deixar morrer na tela

em um dia me apaixono mil vezes por você, vou colar a sua vida no meu mural, quero poder ler você diariamente, e pra não dizer que não falei das flores, queria falar de amor, queria falar das coisas bonitas que seus olhos me contam em segredos velados pela madrugada, ah menino, você me poetiza, é quase um surto, e se você aqui estivesse tomaríamos juntos a nossa dose de loucura, e sãos que não somos pularíamos da ponte mais alta, só pra ver nascer as suas asas de gavião, assim eu escrevo o nosso livro, apenas pra não correr o risco de ver desbotar em páginas amarelas toda essa nossa história.

3 comentários:

  1. Estes textos ficam melhores a cada dia heim.
    Às vezes, tenho a sensação de que conheço a pessoa com quem você fala através deles.

    ResponderExcluir
  2. Que isso aconteça várias horas ao dia, várias vezes na semana, várias vezes pela vida...

    ResponderExcluir
  3. ah Dan, e que bom que meus textos encontram olhos coloridos pra pintá-los...

    amém, Keila.

    ResponderExcluir