sábado, 3 de setembro de 2011

saudade as vezes vem em forma de rio, sem mar pra desaguar, acumula-se, arrebenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário