sábado, 11 de abril de 2009

as tais alianças

o branco daquele vestido no altar me fez sentir inveja. os olhos de eternidade envolvidos na cumplicidade do casamento. era fácil congelar o amor entre os dois. a flor pendurada nos longos fios de cabelo que ela sempre esperou crescer. lembro quando ela passeava os dedos entre os meus fios a espera dos dela. quando eu cheguei com cabelos curtos foram os olhos dela que tiveram o maior espanto. tudo fica claro. só de ver as mãos encostando na pele um do outro já se escancara a plenitude. é ela. é ele. são um só. uma vontade assim. tradicional. de ser de alguém. de se empurrar do ponto mais alto pra cair nos braços dele e esquecer do resto. vale também viver pra isso. só pra pensar em como surpreendê-lo no dia seguinte com rimas preenchendo as paredes. não há sonho mais digno. e ultimamente tem algo como isso me devorando...

2 comentários:

  1. Cada dia que passa me encanto mais com a pessoa, com a amiga, com a jornalista, com escritora Débora... Nao, nao sao pessoas distintas... É o acúmulo de riquezas num só ser...
    Vc me emociona e me leva a acreditar num mundo melhor...
    Amo vc, amigaa!!! Saudades sem fim

    ResponderExcluir
  2. ai, amiga minha. assim você me faz recriar a mim mesma... dá vontade de realmente ser tudo isso...
    amovc

    ResponderExcluir