quarta-feira, 1 de setembro de 2010

ela era o lugar

sabia onde queria chegar. sabia desde que ela chegara até o mundo, porque apesar do mundo existir desde sempre não era desde sempre que ela o enxergava... acontece que mesmo sabendo deste lugar ela não conseguia esticar uma seta e seguir em linha reta. assim seria simples demais chegar lá, em um lugar tão distante como um sonho. antes disto ela precisava preparar uma infinidade de detalhes pra tornar aquele lugar, lá longeeeeeeeee, um lugar que de tão perto a faria abrir outra janela pra enxergar um outro lugar. pensava na distância desses desejos, e mais do que isso, questionava a ausência de um encontro que esgotasse outras vontades. perguntou até mesmo se esse tal lugar onde ela dizia querer chegar já não era parte da terra que seus pés deixavam pegadas. os seus desejos não podiam ser tão inalcançáveis assim. foi então que percebeu: ela já estava lá, já morava lá, fazia tempo que o lá vivia aqui, bem pertinho dela, do lado de cá, do lado de dentro. deixara então de viver pra alcançar um outro lugar. ela era o lugar. o mundo era mera decoração do lugar que ela fazia de lar. o lugar maior era por demais imenso, era pulsante, corria por diversos caminhos fazendo tudo se concentrar no centro de todas as coisas: no coração. tal descoberta fora fundamental pra que ela pudesse ser personagem da própria história e não da história contada pelos outros de um mundo que não era o dela...

Nenhum comentário:

Postar um comentário