segunda-feira, 30 de agosto de 2010

raios de amanhã

era gostoso deitar no verde da praça e deixar o sol invadir o corpo. a pele se dilatava ao perceber que o calor a cobria. entendia assim que o entardecer não era um abandono, mas uma pausa pra resgatar raios do próximo encontro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário