quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

nosso caminho

não tem caminho seu, não existe isso de meu, nem de seu. são tempos, estações, menino. e você vai colhendo pétalas quando for época de flores. os caminhos são duros demais, muito exatos pra serem só seus. ei, você acredita quando eu falo que amo você? acho que não, temo responder que nem poderia. estou pensando em comprar minha passagem pro mundo seu, passar uns dias, virar o ano, rasgar a pele. depois já estarei mesmo perto do céu, e de lá dizem que a lua fica ainda maior, dá até pra tocar com a palma das mãos, já imaginou? aí menino, a gente deixa pra trás essa história de emprego, de casa, afinal nossa casa era essa mesmo, sem janela, sem parede, colada na lua.

2 comentários: