terça-feira, 17 de abril de 2012

médica e paciente de mim mesma

carreguei-me no colo com toda a delicadeza que me cabia, abracei-me inteira, cuidei de mim até a noite alcançar o sono e assim por diante, respeitei-me em cada vão momento, em cada dor que corria dos olhos, ouvi lamentação por lamentação, dediquei-me exclusivamente a me dar todo o carinho necessário, fui paciente de mim mesma, só tenho a agradecer a mim por todo o companheirismo e compreensão neste momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário