domingo, 29 de abril de 2012

contador de histórias

enquanto seus fios se enrolavam em torno dos cachos, você se desenrolava nas histórias de outrora. com pausas ritmadas, você dava tempo do corpo voltar lá atrás e sentir a experiência outra vez. contava os dias de ontem com detalhes de quem usa lupas no lugar de lentes. você realçava os contornos de simplicidade da caminhada cotidiana. nenhum dia era como um dia qualquer. você não permitia. e não era porque a sua estrada era povoada, era a sua pele que se fazia extensão dos outros. ouvindo você dava pra entrar dentro da história, correndo sérios riscos de confundir a história contada com a história vivida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário