quarta-feira, 18 de julho de 2012

falar do outro é falar de mim

e quando me contava a história do seu amigo, criava então, a própria moldura. falar em terceira pessoa pode criar a sensação de distanciamento do fato, mas, invariavelmente, aquele que o conta se inclui nas palavras que escolhe. se engana quem pensa que aquele que muito diz do outro, pouco diz de si mesmo. a gente está aí, escancarado. e quando a gente lê o mundo, o mundo também nos lê.

Um comentário: