quinta-feira, 14 de agosto de 2008

estava escrito

Você é o homem que me disseram estar traçado. Eu bem já estava a sua espera. Na carruagem. Estava escrito ali naquelas linhas tortas das minhas mãos que a gente escreveria junto os nossos versos. Hoje quando acordei eu fiquei horas respirando nossos suspiros. Senti seu cheiro no meio das amoras. Roxas. Logo me juntei a elas pra exalar você. Fui cantando a nossa música. Tão minha e sua. Quero decorar você em cada rima. Dos detalhes eu quero letra por letra. Pra não faltar nem sobrar. Apenas encher. Transbordar essas águas tão claras que a gente constrói dia-a-dia.

E quando a gente puder acabar com a saudade... ah... nesta noite haverá saltos. Altos e finos. Sapatos pretos. Vestido rodado pra não perder o movimento. Lábios vermelhos. Pupilas dilatadas. A explosão será tão grande que não sei se conseguirei ir até você. Caso isto de fato aconteça, peço com antecedência que me busque. Pegue as minhas mãos e dance comigo na praia. Eu estarei esperando por isso. Se encaixe nas minhas curvas. E não se esqueça de que é sempre você quem me acorda no dia seguinte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário