quarta-feira, 13 de agosto de 2008

olhos oceano

Na semana passada a diretora da IICD, a Jytte, contou a história da Humana People to People, organização que a ONG faz parte. Quantas pegadas... Jytte tem passos certos, definidos. Não faz barulho. É contida. Interna. É alma. Hoje ela vive as conseqüências de tantos caminhos: já não se pode enxergá-la, misturada entre tantas versões. Penso que ela se fragmentou em partes... deixadas nessas viagens. É dinamarquesa e tem 58 anos. Seus cabelos de neve deixam os olhos ainda mais oceano. Sua vida começou aos 18 anos, quando um grupo de dinamarqueses resolveu atravessar fronteiras. Naquela época na Dinamarca as pessoas não se interessavam em olhar além da própria janela. A curiosidade foi o berço. Nela eu vejo fonte. Faz crescer minha sede. Tem olhos tão profundos que para ouví-la é preciso antes saber ler seus olhares. Ela não há de descansar. Ela já nem pertence a si mesma. Se doou para o mundo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário