quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

além do que sou: o amor.

descubro então que posso amar qualquer pessoa. isto me dá liberdade pra vasculhar mundos lá fora. lá fora de mim, de tudo aquilo que sou. penetro na diferença que me iguala, nos momentos de eclipse. tudo se amplia desta forma. até mesmo o amor. sem setas eu simplesmente sigo o cheiro da amora. satisfaz-me. embriaga-me. assim fico bêbada permanentemente. em êxtase.

2 comentários:

  1. gosto de ficar alguns dias sem entrar no seu blog pq qdo entro tem mais coisa pra ler. adorei.

    ResponderExcluir
  2. e sabe... eu percebo claramente a sua ausencia.

    ResponderExcluir