sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

verdades são mentiras

apesar de se enquadrar no estereótipo de homem eu sempre o colocava com características de príncipe. quantas vezes eu já não fiz isso. eu negava qualquer influência hormonal, qualquer regra moral da sociedade. pra ele eu deixava essência com cheiro e cor. fiz dele pintura minha, quadro meu. ele era óleo demais. não misturava com a água. as gotas de chuva salgada nunca borraram a imagem que eu havia pendurado nas paredes do vento. depois de longos meses que formam anos uma menina vem e sopra ares de leveza e destrói castelos sólidos de pedra. essa menina disse que eu não posso usar venda nos olhos e pensar que enxergo tudo. em momentos assim eu só consigo acreditar que a mentira é parte da verdade. de forma que a verdade seja feita de nada mais nada menos que de mentiras. já não há mais conto de fadas. é realidade demais pra se inventar qualquer fantasia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário