sexta-feira, 20 de novembro de 2009

o mais impotante é que você respire

não. não me parece fácil viver. acho complicado entender as normas sociais. dentro de uma cadeia não existem só coisas ruins. além das grades não existem só coisas boas. compramos tanta matéria que se acaba. uma carga de caneta que tem fim após preencher várias folhas de papel. e a palavra lá, se eternizando, se agonizando na tentativa de ser absorvida. todas essas coisas eletrônicas que nos localizam em qualquer esquina e toda essa explosão humana que não se deixa ser encontrada em qualquer curva. os outros querendo algo de si nos outros. os pais querendo manter os códigos e os filhos desviando da linha reta. o sistema pagando em valores diferentes o trabalho que todo homem faz pela mesma razão. não. não é a razão que importa. e depois que se vai o quê é que fica? eu não quero ter receio de fechar os olhos pela última vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário