sexta-feira, 13 de novembro de 2009

os olhos dele

inocentemente ele passava os dedos pela minha pele, sem perceber que cada linha que ele traçava deixava ali um caminho. ele pintava em mim os desenhos dele. colocava dentro de mim os sentimentos dele. eu absorvia tudo, até uma respiração que também era dele. tive medo dos desejos meus de posse. eu quis colocá-lo dentro dos meus olhos, sem qualquer desvio. saí correndo colorindo as setas indicando direções opostas, fazendo-as todas apontarem pra mim, para os meus olhos. e ele me olhava. conclui que ele era mesmo corajoso. sem me contar nada foi lá e roubou tantas estrelas que os olhos dele não paravam de brilhar. dava pra ver quase todas as coisas pelos olhos dele, a maior janela que consegui abrir nos últimos tempos marcados por ponteiros. ele já era então parte lá de cima...

Nenhum comentário:

Postar um comentário