sábado, 6 de setembro de 2008

mesma temperatura

Preste atenção menino. Estou pedindo pra você parar e me respirar. Sei que agora sou ar pesado, mas sei que você agüenta. Tenho vivido semanas em segundos, sem pausas. À minha frente vejo muitos números. Todas as noites eu chego e faço cálculos. São subtrações. De quantos passos faltam pra chegar lá. Isso explode demais dentro de mim. Ainda bem que a gente pode dormir e entrar em outro mundo que não esse nosso. Se não fosse meus sonhos debaixo dos meus olhos fechados eu não sei se suportaria sorrir. É muita energia em cada pedido meu nas ruas de Boston. Resta pouco pra mim. E eu preciso tanto de mim mesma. São tantas as pessoas a me carregarem. Eu apenas dou as mãos e sigo com elas. Ouvi estórias demais em tão poucos dias. Perguntas atrás de perguntas. Eu ali. Absorvendo tudo. Acabei me esquecendo de enxugar um pouco. Agora estou aqui implorando por um pedaço do seu abraço. Quero me perder entre os braços seus pra que a nossa temperatura possa ser a mesma. Pra assim você me doar um pouco desse seu calor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário