sexta-feira, 19 de setembro de 2008

orgulho de você meu pai

Para o menino dar um beijo o pai precisou abaixar. Ele ajoelhou e desfez os degraus: plano. O filho, empolgado com o gol que fez com um goleiro tão maior que ele, saiu correndo e derrubou o pai na grama. Segredo: o pai deixou a bola entrar... porque sabia que isto aconteceria. O beijo atravessou o campo... feito cometa. Deliciosamente o pai abraçou o filho e rolou na terra verde. Som de sorrisos largos. Eu vi esta cena hoje no caminho de volta pra casa e senti saudades das conversas pausadas no fim da noite, das nossas festas regadas à natureza... foi assim que eu percebi que ele sempre estava na lateral do gol esperando a bola entrar. Amanhã será o nosso dia, meu pai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário