terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

a minha beleza passageira

- então quer dizer que você se acha bonitona né?
- não sempre, não muito. mas me acho suficiente. no sentido de que escrevo as belezas. e as belezas que escrevo ficam em mim. assim como as coisas que falo, as coisas que penso, as coisas que faço. acho que elas são mais belas que qualquer fio de cabelo meu. acho que essa é a minha beleza maior. porque fisicamente não me acho uma beleza assim tão grande. e quando me acho, porque há dias que me acho muito bonita, evito atrair qualquer par de olhos por isso. eu não saberia manter essa beleza que surge em dias esporádicos.

4 comentários:

  1. a beleza da matéria é fugaz e fugidia. são os suspiros os laços de fita de toda menina metafisicamente bonita. assim como os seus ais...

    ResponderExcluir
  2. e você por aqui pontuando os meus ais... haverá beleza maior que essa?

    ResponderExcluir
  3. A sua beleza não desponta em dias esporádicos; ela sempre esteve aí, dentro e fora, embaixo e em cima de você. A diferença é que nesses dias alguém resolve bancar o espelho. Simples assim

    ResponderExcluir
  4. será que podemos eliminar os espelhos?

    ResponderExcluir