sábado, 15 de maio de 2010

e então... foram felizes para sempre

cabem tantos sonhos em dias assim. cabem tantas vontades, tantos amanhãs, tantas estradas. cabem até alianças. cabe o passado, presente e futuro. cabe tudo no tapete vermelho que a leva pro altar. é por causa do amor, né? acho que o amor faz isso. faz a gente querer mais vida, mais espaço, mais ar...

menina que vi crescer,
tenho pintado você em um quadro. coloquei no canto um sol bem amarelo, daquele que colore tudo que vê. bem no centro eu desenhei uma casa. é um lugar pra se viver a dois. é um lar com base sólida, resistente, paciente. esta casa pulsa dentro de você, pulsa dentro dele. fica lá dentro, naquela esquina, no lado esquerdo do peito. não há muitos cômodos, nem muitos móveis. mas há você e ele. é que agora você vai morar dentro dele e ele em retribuição vai morar dentro de você. as vezes a ordem inverte e você também retribui... e um morando dentro do outro faz com que as paredes percam o sentido. teto agora faz-se de pele... é por causa do amor, né? tive dificuldade para desenhar você, mais dificuldade ainda para desenhar o Victor. não consegui. é que pessoas não têm contornos. elas não são, mas estão. eu não quis perpetuar num quadro algo que não era pra sempre. afinal, hoje é dia de eternidade. desenhei então linhas... linhas prontas pra começarem uma história. uma história que começa diariamente. apaixona-se diariamente. é por causa do amor, né?

4 comentários: