segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

haja coração

era só ele me dar a mão para as ruas se tornarem palco, em menos de um minuto já alcançávamos toda a altura possível em um mundo tão terreno como este, a pele começava a desaguar na outra, os olhos abandonavam a realidade e fechavam imediatamente as cortinas, bastava que o hoje se prolongasse por todos os amanhãs.



desenho: Mel Perete

2 comentários: