domingo, 17 de janeiro de 2010

gemido de um cachorro

um dia eu atropelei um cachorro. estava no meu carro subindo um morro, daqueles inclinados, que você precisa acelerar pra chegar até o final e o cão entrou na minha frente. ele deve ter pensado que dava tempo... mas nem sempre há tempo suficiente. o cachorro gemeu e eu segui viagem. nem sempre os sons de dor páram a gente. tem instantes que o destino final faz a gente manter o ritmo sem olhar pra trás. eu não gosto disso. considero de extrema importância as flores que moram debaixo dos meus pés. se estão secas, pra onde olham, as cores de cada dia, as pétalas que se abrem, as folhas que nascem. o gemido de um cachorro. desde que eu comecei a viver, e isso tem uns dois anos apenas, eu quero que seja pra sempre assim. um olhar para as coisas pequenas tão grandes internamente.

Um comentário: