quarta-feira, 31 de março de 2010

obedeça a si mesmo

falando assim parece que não é mesmo urgente ser feliz. tem que ser agora, neste instante, neste segundo, não depois, com mais calma, nem com paciência. tem coisas que são mesmo urgentes. por isso já não fico esperando a flor desabrochar, eu vou até lá e abro as pétalas. cada um no seu tempo, eu no meu. corro muito, eu sei. corro tanto que vejo os outros ficando pra trás, não que eu esteja na frente, mas o meu caminho é sozinho. talvez seja esta a minha sina, de não encontrar companhia, de não achar mão que segure firme o sufuciente, de não enxergar asas em ninguém. não adianta me ensinarem a esperar o tempo lá de fora. eu não aprendo mais. eu quero a minha liberdade. quero sair da caixa, rasgar os panos, quebrar os lápis, desmontar os armários, destruir paredes. tudo pra deixar meu caminho mais livre, sem olhos que me atrapalhem a visão. do outro quero o sentimento. já não quero guardar ninguém no meu baú. nem quero ter um baú. cansa muito, cansa demais ter que mexer nos tantos retalhos que embolamos no baú. isso faz doer, faz sangrar mais do que uma ferida aberta. por dentro eu me sangro inteira, a minha cor vermelha não consegue seguir os caminhos curtos de uma veia e se esparrama pela pele, pelos poros, pelos olhos. e aí eu me desmancho em sangue, assim, descaradamennte. e ele viu, Fabrício viu, Bernardo viu, Valério viu, André viu, até Fernando viu, eles viram. e ela me diz agora que não quer sentir mais nada. porque de tanto sentir ela se acumulou com o excesso do próprio sentimento. ficou vazando, rio que não cabe nos limites e vira enchente. tem que ter um jeito, mesmo que ninguém saiba qual é. tem que ter um eixo, uma direção, leste, oeste, norte, sul, pra cima, pra baixo, pro lado, pra dentro.

7 comentários:

  1. qndo eu tiver dinheiroo, morando so ... aew vc vem morar aki em fortal,comigo.

    sem promessas , nem contratros, nem expectativas. vc vai vir pra eu tentar me resgatar, pois eu so axo q sou eu com vc, atraves de vc, por vc. mas tenho mto ainda o q aprender de mim mesmo do q eu sou capaz e do eu preciso ser capaz.

    vc bem q poderia ser minha mae, minha irma. seria mais facil.

    mas vc vem, ok?!
    nao agora... e n vo pedir pra vc pacinecia, pq vc acabou de dizer q n tem e pronto. entao fica ai, impaciente. pq eu, eu sei q vai contecer. tem q acontecer! so vc pode!

    =)

    ResponderExcluir
  2. não deve ter jeito pra tantas intensidades...

    e aí fica assim, os segundos se tornam horas, as pessoas pequenas demais pra tanto sentir que é seu...

    beijos!

    ResponderExcluir
  3. lero, já faz tempo que comecei a ir... uma hora eu chego e quando eu chegar vai ser tudo o que há de ser. afinal, eu e você temos tanto pra ser... irmãos, pai, mãe, e tantas outras possibilidades...

    Jaqueline, jeito não tem, não tem conclusão, muito menos fim da história. parece que vivo no meio, no desenvolvimento. eu não dou conta do desfecho. é intenso demais, sempre surge uma vírgula, um tropeço, qualquer detalhe que me faça perder a linha...

    ResponderExcluir
  4. De tudo...o baú... pesa, pesa muito; talvez uma bolsa, prazerosa de se carregar pela beleza, mas que seja pequena, leve e prática, com apenas as emoções do momento...

    ResponderExcluir
  5. e levar sempre o que for do momento, nada de antes, de ontem, de outrora, mas do momento. a gente precisa andar com os pés e com os desejos ao mesmo tempo. pra frente, sem acelerar, pra dar tempo de sentir e existir...

    ResponderExcluir