segunda-feira, 15 de novembro de 2010

foto na parede

guardara a beleza de um tempo atrás entre as molduras de bronze. protegida ali ela não sofria os efeitos dos dias acelerados, mantendo então o corpo imune as viradas dos anos. sorria sempre, não havia nada que pudesse alterar o seu jovem humor, sem pressa alguma de chegar na próxima esquina. o quadro era um abrigo das memórias de um tempo bom, conservava imutável as palavras ditas pela expressão da pele, mas principalmente denunciava a contagem oculta das noites que desde então apenas continuavam. a foto vigiava o corpo em movimento, entregava sem pudor a passagem das horas. fazia um bom tempo que ela já se defendia dos dias que se foram, eles realmente desapareciam afinal, não deixando se quer pistas para que ela pudesse recria-lo por mais uma vez, nem que fosse por uma lua a mais. o agora depois que se transformava em ontem tornava-se irrecuperável. ela precisava se contentar com o que lhe restava: o futuro dos dias de hoje...

Nenhum comentário:

Postar um comentário