sexta-feira, 29 de abril de 2011

o fim é o retorno ao começo

por sorte o menino nascera na melhor das fases: na infância. por um bom período ele ainda poderia se dar ao luxo de ser criança, mas não tinha escapatória. quando este menino alcançasse a fronteira ele já não poderia ser o que fora, ainda que soubesse da tão obvia regressão: criança, adolescente, jovem, adulto, idoso, criança outra vez. o mundo era redondo. o homem também. era a vontade de nascer, era o que ficava no final de tudo, depois de tantas peneiras a seleção da melhor fase acontecia. era um ciclo que terminava no começo, pois pense bem se o outono não é a vontade da planta em ser primavera mais uma vez?

5 comentários:

  1. Fui dormir pensando em como é bom ser criança - isso claro, depende de qual o contexto da criança.
    Mas a síndrome de Peter Pan está presente em mim.
    Graças dou pela vida cíclica e não linear.

    ResponderExcluir
  2. sinto a tristeza da planta onde há, de fato, outono.

    ciclos inevitáveis.



    bjsmeus

    ResponderExcluir
  3. Vontade e reconciliação consigo mesma. Há que perder-se um pouco, para ser inteiro, e renovado outra .vez.

    Gostei.

    Cecilia, um beijo

    ResponderExcluir
  4. Keila, assim espero que seja, um eterno rejuvenescer, só pra provar que números não ultrapassam a vontade da pele.

    Andressa, lindo é nascer quantas vezes a gente quiser, não importando em qual idade isso se repita, o importante é que seja em demasia.

    sabe Fernand's, eu já vejo beleza nas folhas que caem pra dar espaço pra outras, é um ciclo como você disse, é como renascer, é preciso mesmo que gire...

    Blakhorshed, perder é sempre um encontro afinal...

    ResponderExcluir