sábado, 26 de julho de 2008

amanhã...

Sonhei que chegava perto do fim do meu aniversário. Eu estava deitada num sofá e não pude segurar: me cobri de lágrimas. Tempestade! Me deixa aflita isso de datas marcadas. Resumo de todo um livro em 24 horas. Fico sem lugar pra colocar as mãos e todo meu corpo. Ter que parar e receber tanto num único dia... as pessoas acumulando sentimentos. Dá vontade de correr quando penso nos espaços entre os abraços. Na falta de certos olhares. Os únicos que eu esperava.

Lembro como se fosse hoje. Num destes aniversários tristes eu sai de casa e desliguei o celular. Tentei fingir ser um dia normal. Tentava assim matar qualquer expectativa de uma declaração explícita. Entrei na sala de cinema e me entreguei para aquela história que não era a minha. Foi a única vez que assisti dois filmes no cinema num único dia.

E pra chegar amanhã faltam horas... nem mais um dia. Mas desta vez eu prometi que seria feliz. Tia Maria, farei das próximas velinhas um furacão de pedidos e sensações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário